Quarta-Feira, 13 de Dezembro de 2017
CONSTRUINDO A  LogoIntersindical

Campanha Salarial: trabalhadores aprovam acordos em vários grupos

Quinta, 23 Novembro 2017 17:10
Trabalhadores em Assembleia na Sede Central Trabalhadores em Assembleia na Sede Central Gloria Lopes

Maioria dos acordos contém reajuste salarial pelo INPC e renovação das cláusulas sociais

Em assembleia realizada no domingo, dia 12/11, os trabalhadores e trabalhadores em diversos grupos aprovaram as propostas patronais e puseram fim à campanha salarial nesses segmentos.
Confira:

 






Propostas aprovadas

Grupo 7 - Sindratar: 3,50%
(Climaservice, BTU Soluções, Refril, Atlas Schindler, Elecamp)
Os pisos, sem correção desde 2014, foram corrigidos em 23%.
Pisos: R$ 1.436,95 Para empresas com até 50 trabalhadores;
R$ 1.539,02 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.697,64 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.558,33 (acima, valor fixo de R$ 299,54)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses

Sindisider: 2,73%
(Aperam)
Pisos: R$ 1.403,08 Para empresas com até 50 trabalhadores;
R$ 1.500,56 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.638,89 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.453,27(acima, valor fixo de R$ 230,77)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 2 anos.

Siniem: 1,73%
(Mikrostam, Steel Estamparia)
Pisos: R$ 1.381,80 Para empresas com até 50 trabalhadores
R$ 1.484,08 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.637,03 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.017,34 (acima, valor fixo de R$ 138,70)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Fundição: 1,73%
(Fundituba, Axe, Fundição Harmonia)
Pisos: R$ 1.519,63 Para empresas com até 350 trabalhadores
R$ 1.808,28 Com 351 ou mais trabalhadores
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Grupo 2 - Sindmaq e Sinaees: 1,73%
(KSB Bombas, Lupatech)
Pisos: R$ 1.420,09 Para empresas com até 50 trabalhadores;
R$ 1.501,90 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.657,80 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.392,21 (acima, valor fixo de R$ 145,18)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Grupo 7 - Simefre, Siamfesp, Sinafer: 1,73%
(Amsted Maxion, Hewitt, CAF)
Pisos: R$ 1.412,38 Para empresas com até 50 trabalhadores;
R$ 1.512,70 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.668,60 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.258,89 (acima, valor fixo de R$ 142,87)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Grupo 7 - Sicetel e Siescomet: 1,73%
(Belgo, Villares)
Pisos: R$ 1.366,25 Para empresas com até 50 trabalhadores;
R$ 1.462,23 De 51 até 500 trabalhadores
R$ 1.613,19 Com 501 ou mais trabalhadores
Teto: R$ 8.184,00 (acima, valor fixo de R$ 141,58)
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Grupo 7 - Sindicel: Não teve acordo.
(Amphenol, Coppersteel, Nexans)

 

Montadoras

Toyota: 3%
Piso de R$ 2.332,00
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 24 meses.

Mercedes-Benz: 2%
Abono: R$ 2.000,00
Piso de R$ 2.506,14
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.

Honda: Abono de R$ 5.000,00
Piso: R$ 2.332,80
Renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.


Dell, Samsung, Gevisa, Itrón
Chamaram o Sindicato para negociar e fecharam acordo com 3,50% + renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.
A exceção foi a Itrón, que fechou acordo de 2,73% + renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por 12 meses.


Propostas reprovadas
(Bosch, Eaton, Valeo, KS, Marelli, Mann)

O Grupo 3 (Sindipeças) e o Sindicel propuseram reajuste salarial pelo INPC, ou seja, 1,73%.
Porém, o Sindipeças propôs a manutenção da cláusula que trata da estabilidade até a aposentadoria apenas aos trabalhadores acidentados/adoecidos pelo trabalho que já possuem o B-91. Aos trabalhadores que vierem a adoecer/acidentar e obtiverem o B-91, após a assinatura do acordo, a garantia seja de salário OU emprego e somente por até 48 meses.

Já no caso do Sindicel a situação é ainda pior: aceitou renovar a CCT desde que sejam excluídas todas as cláusulas que conflitem com a nova legislação que entrou em vigor com a reforma trabalhista. Por exemplo: adicional noturno, que hoje pela CCT é de 50% e passaria a 20%; licença maternidade, que hoje pela CCT é de 180 dias e passaria a 120 dias; B-91, que pela CCT é até a aposentadoria, passaria a 12 meses.

Lido 1046 vezes
Receba informações por email